Fechar


Cadastre-se
Você está aqui:   Página Inicial   Leia mais   Português para Concursos   Leia mais   Algumas expressões que causam dúvidas - Uma análise criteriosa
Mais Menos RSS - Algumas expressões que causam dúvidas - Uma análise criteriosa

Português para Concursos

Algumas expressões que causam dúvidas - Uma análise criteriosa

Atenha-se a esta ocorrência e confira alguns pressupostos!

Publicado em 16/09/2010 11:43:04


Em se tratando do padrão formal da linguagem, geralmente algumas expressões se tornam alvo de vários questionamentos acerca da grafia correta, mais precisamente pelo fato de apresentarem uma notória semelhança sonora.

O emprego correto que a elas se atribui muitas vezes está condicionado a fatores sintáticos e, principalmente, semânticos. Em virtude de tais pressupostos, apresenta-se a seguir uma listagem contendo os principais casos representativos, de modo a evitar que cometamos alguns tropeços no momento da escrita e em determinadas circunstâncias (concebidas como formais), nas situações que envolvam a oralidade.

Abaixo /A baixo

“Abaixo” significa um lugar com elevação inferior.

Ex.: Comparando as médias, a sua está muito abaixo da minha.

“A baixo” retrata o sentido de “para baixo”.

Ex.: Empurraram-no escada a baixo.

Observação: O mesmo ocorre com as expressões “acima/ a cima”.

A cerca de / Acerca de / Cerca de / Há cerca de

“A cerca de” ou “cerca de” expressam o sentido de “aproximadamente”.

Ex.: O episódio ocorreu a cerca de dois metros da minha residência.

“Acerca de” traduz o sinônimo da expressão “a respeito de”.

Ex.: Discutimos acerca de todos os projetos apresentados.

“Há cerca de” exprime a ideia de tempo decorrido, revelando a noção de “faz aproximadamente”.

Ex.: Há cerca de dois anos visitei todos os familiares.

A fim / Afim

“A fim” constitui “a fim de”, retratando o sentido de “com o objetivo de”.

Ex.: A fim de evitar confusão, resolveu não comparecer às festividades natalinas.

“Afim” representa um adjetivo variável, cujo significado é expresso por “semelhante”, “que possui afinidade”.

Ex.: Nesta grade curricular contém disciplinas afins. (semelhantes)

À medida que / Na medida em que

A expressão “à medida que” expressa proporção, desenvolvimento simultâneo.

Ex.: À medida que passava o tempo, a saudade ia aumentando.

“Na medida em que” exprime relação de causa, equivalendo-se a “porque”, “já que”, “uma vez que”.

Ex.: Na medida em que não se preocupava em se esforçar, seu rendimento ia decaindo.

A menos de / Há menos de

“A menos de” caracteriza-se como uma locução prepositiva, expressando a ideia de tempo futuro ou distância aproximada.

Ex.: A menos de dois meses já estaremos de férias.

“Há menos de” significa “aproximadamente” e o verbo haver, na qualidade de impessoal (3 ª pessoa do singular) , indica tempo decorrido.

Ex.: Estou sem vê-lo há menos de uma semana.

Ao encontro de / De encontro a

A expressão “ao encontro de” retrata o sentido de “a favor de algo”.

Ex.: Os projetos implantados vieram ao encontro de meus objetivos.

“De encontro a” expressa o sentido de oposição a algo.

Ex.: Suas atitudes vão de encontro aos meus princípios.

Ao invés de / Em vez de

“Ao invés de” significa “ao contrário de”, indicando, portanto, oposição.

Ex.: Ao invés de aplaudir, fez críticas horrendas.

“Em vez de” significa “em lugar de”, expressando substituição.

Ex.: Em vez de sair, preferiu ficar em casa.

A par / Ao par

“A par” expressa o sentido de “estar ciente, informado sobre algo”.

Ex.: Estamos a par de todos os últimos acontecimentos.

A expressão “ao par” somente deve ser empregada no sentido de indicar equivalência cambial.

Ex.: O dólar já esteve quase ao par do real.

Demais / De mais

“Demais” se caracteriza como advérbio de intensidade equivalente a excessivamente, muito, ou também como pronome indefinido, correspondendo a “os restantes, outros”.

Exemplos:

Durante o show cantamos demais.

Na sala, ele se destacava entre os demais.

“De mais” revela o oposto da expressão “de menos”.

Ex.: Há alunos de mais nesta sala.

Há / A

“Há” representa a 3ª pessoa do singular do verbo haver (impessoal, portanto), devendo ser empregada no sentido de existir ou fazer.

Há muitas propostas por parte dos candidatos.

Não o vejo há dois dias.

“A” revela tempo futuro.

Ex.: A mostra cultural será daqui a algumas semanas.

Mas / Mais

“Mas” representa uma conjunção coordenada adversativa, indicando ideia contrária, oposição.

Ex.: Não compareci à aula, mas entreguei a pesquisa.

“Mais” expressa quantidade, caracterizando-se como advérbio de intensidade ou pronome indefinido.

Exemplos:

Precisamos de mais explicações.

Carlos é o mais extrovertido de todos.

Aonde / Onde

“Aonde” é usado com verbos que indicam movimento.

Ex.: Aonde você vai com tanta pressa?

“Onde” é utilizado com verbos que indicam estaticidade.

Ex.: Onde mora este garoto?

Por que/ Porque / Por quê / Porquê

“Por que” deve ser utilizada levando-se em consideração a presença de dois elementos: a preposição “por” + o pronome “que”. Assim sendo, atentemo-nos à sua utilização:

* No caso de equivaler a “pelo qual” e demais variações, temos a preposição “por” + o pronome relativo “que”.

Ex.: Este é o caminho por que passei. (pelo qual)

* No caso de equivaler a “por qual motivo”, temos a preposição + o pronome interrogativo “que”.

Ex.: Por que não compareceu ao aniversário? (por qual motivo)

“Porque” indica uma conjunção, a qual se equivale a “uma vez que”, “visto que”, “pois”, “para que”.

Ex.: Não compareci ao aniversário porque estava um pouco indisposta.

“Por quê”, situado no final da frase, indica um pronome interrogativo, devendo, portanto, possuir acento circunflexo.

Ex.: Sua atitude me desagradou. Agiu assim por quê?

“Porquê” é usado na condição de substantivo, expressando o sentido de “razão, “motivo”. Neste caso aparece sempre precedido de um determinante.

Ex.: Realmente não sei o porquê de tanta ironia. (o motivo)

Senão / Se não

“Senão” equivale a “do contrário”, “a não ser”, “mas sim”.

Ex.: Não fazia outra coisa senão estudar.

“Se não” equivale a “caso não” indicando, pois, uma possibilidade.

Ex.: Se não chover, iremos ao clube.

Tampouco / Tão pouco

“Tampouco” se equivale a “também não”.

Ex.: Como não respeita ninguém, tampouco merece ser respeitado.

“Tão pouco” possui o sentido de “muito pouco”.

Ex.: Eu o vejo tão pouco, por isso nem recordo de seus aspectos fisionômicos.

Por Vânia Duarte
Especial para o Banco de Concursos

Comentários

Interagir

Vagas de Hoje Nacional 4214
Vagas de Hoje Sudeste 15623
Vagas de Hoje Sul 1913
Vagas de Hoje Nordeste 2860
Vagas de Hoje Norte 3163

Twitter